21 de fevereiro de 2013

1927669735 Olá Amores e Amoras!

Antes que me perguntem já respondo… NÃO, eu NÃO SOU ESPÍRITA!  Na verdade sou católica, mas, uma católica muito curiosa em tentar entender o que acontece no pós-morte e quem sabe aprender a lidar com isso de uma forma mais leve.

Li esse livro pelo tablet, comprei em uma promoção do PLAY STORE, onde ele estava na categoria “Menos de R$ 10,00”. Valeu muito a pena.

Eu não sei quanto a vocês mas, quando perdemos uma pessoa querida e próxima a nós, sempre fica aquela sensação de vazio total.

Nesse livro é relatado a história real de vida de um médium que tem o DOM de sentir/ver/comunicar com pessoas já falecidas e que, da sua forma, decidiu ajudar pessoas que precisavam conversar com pessoas que já se foram. Esse mesmo médium tentou de qualquer forma negar o que sentia, já que era um aluno seminarista. Imagina a dificuldade em se aceitar como médium enquanto se estuda para ser padre?!

Porém, quando ele decidi deixar as “coisas fluirem” e tudo acontece de uma forma leve e aos poucos acontece o aperfeiçoamento.

No Livro é relatado várias histórias reais de pessoas que PRECISAVAM “falar” com seus entes queridos. É muito emocionante. Em alguns momentos, me senti no lugar das pessoas e aí foi impossível conter as lágrimas.

O médium tenta nos ensinar a como lidar com a perda e como tentar compreender os sinais que nos são enviados no dia-a-dia. Tentar compreender porque algumas coisas dão tão certo, do nada, e outras que, por mais que a gente queira, não dão.

Falando um pouco mais sobre mim…

Sabe Amoras, ainda sinto muito a falta da minha mãe ( que faleceu a 5 anos atrás) e a perda dela foi um divisor de águas na minha vida.

Algum tempo atrás recebi um email de uma garota que havia acabado de perder a mãe e veio até mim me pedindo para ajudá-la a amenizar o que sentia e, principalmente, contar a ela como fiz para superar essa dor que é imensa.

A minha melhor maneira de lidar com isso foi pensar que a minha mãe, do nada, ganhou um grande prêmio, ficou muito rica e foi morar em um lugar maravilhoso, porém muuuuuuuuito longe… tão longe que por hora não vou poder visitá-la. Mas, que sempre que eu quiser conversar com ela é simples. Não é necessário telefone, email, nem nada disso. Para conversar com minha mãe só preciso pensar na imagem dela e simplesmente conversar pois ela estará me ouvindo e me aconselhando.

Prefiro não pensar que ela morreu, prefiro pensar que é algo temporário e que na hora e no momento certo vamos nos encontrar e dar um abraço bem apertado e gostoso e darmos muuuuuitas risadas, já que minha mãe era muito engraçada e animada. Muito mais do que eu, pois eu sempre fui a VELHA da casa. (risos)

É isso…

Depois de livro me sinto mais leve e mais “aberta” a tentar entender os ciclos da vida e as dicas que a vida nos dá.

Vou parando por aqui, se não vou contar o livro todo.

Beijos