28 de julho de 2017

Eii pessoal, tudo bem? O filme da semana é “Perfeita é a Mãe!”

E aí, o que acharam da sugestão da semana passada? Eu, particularmente, gosto muito do “Sorriso de Mona Lisa”! :D Me contem lá no insta @anaapelomundo o que acharam das últimas indicações  :wink:

Esta semana será nossa primeira indicação com ar mais hollywoodiano. Vamos falar da comédia “Perfeita é a mãe!”  (“Bad moms”, no original), de 2016.

Lugar de mulher é onde ela quiser!

O enredo é muito simples e tem por objetivo mostrar a loucura e o ritmo frenético da vida das mães modernas. Indo na contramão de muitos filmes que trazem a mensagem do amor transformador que vem com a maternidade, este vem mostrar o outro lado da maternidade que muita gente pode até não conhecer, mas que, em alguma medida, acredito que todas as mães vão se identificar.

O filme divide as mães de forma maniqueísta em dois grupos bem distintos: as que não aguentam mais a pressão para ser uma mãe perfeita e sofrem diariamente com isso e as mães perfeitas que parecem dar conta de tudo sem sequer fazer esforço. E, como é de se esperar, há o julgamento das mães “perfeitas” em relação às que nem sempre conseguem acompanhar todas as tarefas dos filhos.

Perfeita é a Mãe!

Assim, as mães “ruins” (como diz o título original do filme) são estereotipadas e julgadas por estarem atrasadas, cansadas e, de vez em quando, desarrumadas. Até que tais mães se rebelam e resolvem não se importar mais. É claro que elas não deixaram de amar seus filhos, elas simplesmente deixam de se importar com o julgamento alheio e passam a levar uma vida com menos stress e cobrança no trabalho, em casa (do marido e dos filhos) e na vida social.

Neste momento, o roteirista dá uma exagerada no comportamento das mães e, em alguns momentos, vira uma baderna. Apesar de querer mostrar que às vezes até as mães, como qualquer ser humano normal, precisam de um tempo para si – seja para descansar, para dormir, sair ou só para fugir um pouco da loucura da maternidade – , o filme exagera nos estereótipos de cada uma. Na minha opinião, isso não é um problema, pois entendo que é para mostrar como as mães podem se sentir esgotadas e sufocadas e não podem colocar isso para fora sem serem julgadas por todos a sua volta.

Está aí um filme engraçado que reúne um grupo de mães esgotadas que se dão de presente um (ou alguns) “vale-night”. Acredito que muitas mães vão se identificar e se divertir com o filme. E é claro que o público-alvo não são apenas as mães, mas todos que estão querendo relaxar no fim de semana com um filme despretensioso.

Espero que curtam o filme! Depois venham comentar o que acharam da indicação e comentem lá no insta também @anaapelomundo!

Beijos e até semana que vem!

Escova Michel Mercier - 728x90 - 2